5/24/2009

Para te enciumar, Inês!

Luísa linda, linda Luísa*,
Vinda do outro lado do mar...
Serás Tornado, jamais a brisa,
Soprando a Terra Prometida:
És Palestina por libertar!

Linda Luísa, Luísa linda,
Na Aurora anunciada serás ainda,
Nela a estrela da manhã erguida
Aos Céus da Comuna e destemida
Luzirás tu nosso porvir... Linda Luísa!

Dos Tempos novos pitonisa,
És feitiço que não finda,
Não se quebra ou se desfaz,

Nem por resistir tenaz!
E pressagio que não prescinda,
Já de ti Luísa linda!

F.

* Arabescos para a minha sobrinha,
uma espécie de Louise Michel do nosso clã

2 comentários:

Mary disse...

Desculpa-me o atrevimento ao tratar-te por tu, entendo-te tão bem.

A minha história n se liga de todo à tua, mas tem algo em comum: A não desistência de lutar para poder ver mais um sorriso da tal pessoa.

"Isto" às vezes dói, às vezes cansa, às vezes interrogo-me se ainda vivo ou se já me absorvi de tanta lacuna sentimental.

"Pedro", espero um bom final ou a ausência dele.

*

F. disse...

Mary:

Muito me alegro que te tenhas atrevido e muito te agradeço as palavras