6/16/2009

Questionário

"Para melhor enquadramento psico-social do sujeito em estudo" - assim mesmo, neste vocabulário sinistro, me introduziram ao questionário respondido.

Estou sob estudo. Acham o meu caso fascinante. Teorizam que a minha procura por Inês é um caso extremo de negação: recuso-me a aceitar que Inês não me quer mais.

Falei com uma amiga que me explicou ao telefone:

"Para Freud, a negação é uma defesa contra realidades externas que ameaçam o ego mas, quando alguém está "em negação", esta a sabotar-se duplamente: sabota-se por covardia, ignorando o problema; sabota-se por auto-ilusão, fingindo que nem problema existe.

Trata-se dum sistema de estímulo enviesado, a pessoa nega a realidade porque, ainda que com o custo da sua integridade, considera ser menos doloroso a diluição da auto-consciência do que admitir o erro e pedir desculpa."

6 comentários:

Celia disse...

Para teu bem, é melhor que não duvides nem por um momento que não há problema. Ainda só vivi 19 anos, mas não tenho dúvida alguma que nunca vi um gesto mais bonito em toda a minha vida - e olha que li muitos romances e vi muitos filmes. isto que estás a fazer, só encontra comparação nesses mesmos filmes que pensamos que nunca serão realidade por serem isso mesmo: filmes.

tu tornas-te os filmes e os romances realidade, só espero que essa rapariga o reconheça e não seja tola como ás vezes somos. mas também, nunca ninguém nos fez uma demonstração tão bonita de amor :)

Não, tu não tens nenhum problema. Somos nós, a restante dezena de milhão que temos sérios problemas e que vivemos em negação.

Força!

F. disse...

Muito te agradeço as palavras de incentivo, Célia!

muitas vezes pensei no que reflectes tu e, independentemente do resultado final (e o resultado final não me é indiferente!), creio que estarei dando o meu grande contributo ao mundo (por pequeno que seja) com "Pedro procura Inês"

Celia disse...

Pelo menos conseguiste que o meu - que não é - 'Pedro' admitisse que admira o teu gesto. e olha que para ele, romantismo, é algo como uma pedra da calçada molhada (da água do carrinho de mão do homem das obras).

felicidades.

Jonas Grancha disse...

adoro este blog completament =) muito parabens

F. disse...

Jonas:

Muito me comovo pelo interesse manifestado. São pessoas como tu e a Célia que me fazem continuar

The girl whose name cannot be spoken disse...

pensa que tudo isto é também importante para tu mesmo reforçares a tua confiança em ti e no fundo, conheceres-te melhor!

Desejo-te a maior sorte! Grande coragem! Todo o apoio mesmo!

Até brilham os olhos quando passo na alameda da universidade e vejo aqueles cartazes..

Como disse a Célia, tu tornaste os filmes e os romances realidade. Obrigada por me fazeres também a mim acreditar que isso é possivel. ;)