9/30/2009

Além quer

Além do destino a distância

A remoer as entranhas a ânsia

Do triunfo que tarda e não chega

Duma fé perdida que se entrega.


Além da desventura a derrota

A desdita batendo à porta

Como o fracasso feito matriz

Folhas secas caule fraco e falsa raiz.


Ausência da seiva seca a sorte

Ruína rondando ruminando a morte

Do sonho desfiado e agora desfeito


Da grande quimera a utopia de Ser!

Do querer muito e não já poder

Como o pôr-do-sol a desvanecer.

2 comentários:

Fred disse...

Não desistamos Pedro! Nunca!

F. disse...

Nunca! Isto é para levar até ao fim