10/15/2009

Ontem fui até ao Bairro Alto beber um copo e conheci uma rapariga espanhola, estudante de Erasmus. A espanhola, de seu nome Dolores, era bonita, parece ter engraçado comigo e até trocámos nº de tlm... Talvez devesse reconsiderar as minhas perspectivas e prioridades... não sei bem, decerto, apenas me sinto só.
Por onde páras, Inês?
Qualquer dia destes, fará um ano que te procuro

14 comentários:

Marisol disse...

A Inês do outro Pedro não era espanhola?

F. disse...

Galega! E Galiza é Galiza, não é "Espanha"

Marisol disse...

Se quiseres um dia discutimos o direito à auto-determinação do povo galelo. De qualquer forma, a história sempre se repete, primeiro como tragédia (galega rainha depois de morta, coitada!), depois como farsa... Abre a pestana e telefona à espanhola!

Rute disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rute disse...

Não sejas parvo! Começaste uma história e agora vais terminá-la. Sentes-te só? telefona a um amigo. Tu és o Pedro que procura a Inês: para o bem ou para o mal, criaste esse papel e vais ter de o representar até ao fim - seja ele qual for, não será certamente às mãos duma espanhola qualquer. Ganha brio e fecha a braguilha

15 de Outubro de 2009 18:17

Anónimo disse...

apoiado, rute

F. disse...

A minha vida não é propriamente uma ópera... E eu também não tenho nada a provar a ninguém, nem sequer a ti Rute.

Tó Jó disse...

Vamos ser sérios: A Inês não andará propriamente a coser meias, pois não? Se ela vive ou está com outro, certamente que fará o que tem de fazer. E tu faz o mesmo, Pedro, que saltares pra cima da espanhola não é só isso: saltares pra cima da espanhola. amor é amor e sexo é sexo. quem diz que uma coisa é inseparável da outra é porque nunca experimentou realmente qualquer uma das duas coisas

Irmã mais nova disse...

O solista julga que convence como tarzan/galã/dom Juan "apaixonado" e as suas múltiplas personalidades conversam entre si... Só cá faltavam os especialistas sentimentais mas como imagino que a intenção é "fazer rir" isto torna-se (um pouco) menos deprimente.

Bem hajam!

F. disse...

irmã mais nova:

É deste rancor todo que eu gosto. descarrega mais

Irmã mais nova disse...

(Finalmente alguém com quem falar?...)

F. disse...

vais ter de fazer melhor e injuriar com muito mais vigor. Como sabes as audiências querem sangue à brava. Faz-me o jeito!

Anónimo disse...

fausto vai mas é molhar o pincel e deixa essa(s) feminista(s) rebarbada(s) da mão.

Anónimo disse...

lol