6/30/2009

Enquanto as cigarras cantarem no Verão e as cachoeiras forem de encantar, enquanto os pássaros voarem para Sul e os poentes se espreguicem, enquanto as flores debutarem e as copas das árvores valsem ao vento... e para além de tudo isso, para lá da espuma dos dias e do chumbo das eras, para lá dos limites do Horizonte e do bom senso, do que é tangível e do que não abarca a vista, enquanto os céus forem céus e as estrelas fixas...hei-de te eu amar.

6 comentários:

Templária disse...

Inspirado pelo Zêzere e pelo convento de Cristo?

diana disse...

Bonito.

Pipoca disse...

Ai que eu gostei tanto...

Rute disse...

batido...

Náná disse...

Adorei :)

Rui Fernandes disse...

Espectacular. Bem sem palavras para descrever isto. Força, não desista...
Rui Fernandes