6/05/2009

O maior erro da minha vida? Foi há 5 anos e foi este

Por paradoxal que possa ser o entendimento do mundo sobre isto, melhor e mais do que ninguém, compreenderás tu, linda Inês, o que afirmo eu...

10 comentários:

Rute disse...

Não será com estas falinhas mansas que te safas. Toda a gente sabe que o fizeste por ti

RGA disse...

Quisera ele e muitos outros cronistas por aí! Só terem desaparecido os cartazes contra as propinas e assembleias gerais é que não acho bem...

diana disse...

Há sempre tempo para remediar os erros.

Anónimo disse...

deixa de ser ridiculo, pareces um puto desesperado. faz te homem! deixa te de andar a colar cartazes nas faculdades e na rua. cresce e aparece! se eu fosse a ines, desta e que tu nc mais me punhas a vista em cima..

Borboleta disse...

Pedro, acho a tua iniciativa muito original. Tomara ter a tua coragem, para produzir e colar cartazes Borboleta procura Borboleto :) Boa sorte para a tua busca!

Anónimo disse...

epa ca seca de homem...fizeste porcaria ela foi a vida dela e fez a vida com o homem da vida dela...deixa é a miuda em paz e faz-te homem...

*mary disse...

àqueles que comentam por parvoice, se acham mediocre o que o F. faz simplesmente ignorem.

Eu acho bonito, e se errar é humano o perdão também o é, tal como o arrependimento.

É engraçado num dos comentários dizerem que pareces um puto, tomara que todas as paixões fossem como as dos putos...sentem as coisas à flor da pele, são impulsivos, sinceros, não temem ser gozados pelo "amor" que sentem.

A mim falta-me a coragem para dizer apenas "gosto de ti", "sinto a tua falta"...dificil é amar com os teus olhos e abri-los para o mundo.


divaguei demais

Nerd com macBook disse...

oh Rute, tu és rokabilly? ouve lá, curtes Tigerman e Peste & Sida e isso?
a estética até me atrai, e penso de que vcs devem de ser boas na cama, mas quando me cruzo com uma ( na Brasileira no porto param bué delas) elas olham-me de cima, e logo eu que gosto de ficar por baixo.

F. disse...

RGA:

Nessa altura, infelizmente, havia muito que a luta anti-propinas tinha sido perdida.

Não existiam cartazes anti-propinas afixados. O Prado Coelho é que quis mandar a alfinetada do "já chateavam os cartazes anti-propinas".

Como sabes, ela xuxa

A rapariga que roubava livros disse...

És ridículo como as cartas de amor...

Ainda bem!