9/02/2009

ESTE POST NÃO É LITERATURA!

Hoje faço anos e os Meninos do Maria Matos desencantaram-me uma prenda:

Fui constituído arguído num processo de queixa-crime.

Porquê? Porque o sr. Mark Deputter, director artístico do Teatro Maria Matos, assustou-se com as "armas" do 25 de Abril. Ou diz que se assusta.

Na altura, produzi este poema visual, como vídeo de protesto pela usurpação que considero ter sido vítima por parte dos Meninos do Maria Matos, quando produziram a peça "Pedro procura Inês" sabendo perfeitamente que um um poeta de maus versos já procurava esta Inês. No fundo, queriam vender mais meia-dúzia de bilhetes de teatro, aproveitando-se da popularidade mediática dum slogan/verso/história que eu criei e levei ao país: da televisão às manifestações populares, da blogosfera para as ruas, das paredes para os jornais: "Pedro procura Inês".

Quando confrontados e criticados, expostos à luz do seu comportamento infame, o Sr. Mark Deputter, revelou-se não um Director do Teatro, mas um Director da Polícia: apresentou uma queixa-crime contra mim por crime de "ameaça".


E quando um director dum teatro parece perceber menos de representação e novas tendências de expressão e "performance" do que um director da polícia, isso dá-me que pensar: porque apresentou uma queixa-crime? Por medo, por tédio, por fascínio ou simples má fé?

9 comentários:

Petroni disse...

Antes de mais: FELIZ ANIVERSÁRIO!!!
Depois de mais: Rica prenda que esses senhores te ofereceram, cortesia dos dinheiros públicos da EGEAC, claro está. Oh, poupa-se num adereço caro e processa-se o poeta.
Força, Fausto!

F. disse...

Nem mais! Já tiveram que pagar 193€ das duas unidades de conta necessárias à abertura de tal processo... 193€ dos contribuintes

Anónimo disse...

epah tens q concordar q no contexto em q o publicaste soa a ameaça... andaste a "postar" a morada de um deles e tudo. quem lia (eu por exemplo) ficava com a impressão que querias fazer a folha aos gajos (não querias?)

--- abraço!

Anónimo disse...

Em primeiro lugar, os meus sinceros parabéns! Que este dia se repita por muitos mais e que seja feliz.
No que se refere ao tal processo, creio que deviam ter chegado a um acordo. É certo que, pelo que vi, eles usaram algo seu, criado por si e isso, segundo consta, é crime. Por outro lado, o Fausto parece ter reagido de forma impulsiva e sem pensar. O vídeo que fez tem um tom ameaçador. Se bem que todos sabemos que quem quer fazer mal, não anda por aí a divulgar, muito menos em vídeos no youtube...Mas, não deixa de ser uma ameaça... Conversem e acabem com isto!!!
Tenha um bom dia de aniversário e lamento a notícia que recebeu neste dia!!!

F. disse...

Claro! E quando no post do dia anterior, escrevi que tinha ido pedir aconselhamento jurídico e incluo imagens da Torcida Verde, é mesmo caso para ser difícil de perceber que num blog de poesia, se está escrevendo ficção.

Que cabeça a minha!

A morada, obviamente, é falsa: não existe um nº158 na Calçada da Graça em Lisboa.

F. disse...

[ MAIL ENVIADO A 1 DO 9 de 2009 ]


Caro Sr. DEPUTTER:


Dirigi-me hoje à polícia e soube-me constituído arguido por queixa-crime apresentada pelo sr a propósito do vídeo "Os Meninos do Maria Matos".

Se o sr. não retirar a queixa, teremos então que ir para tribunal para que um juiz decida se a sua queixa - a de que se sentiu ameaçado pelas "armas" do 25 de Abril - tem fundamento ou não.

Para mim, esta história estava enterrada. Do meu ponto de vista, os srs. abusivamente serviram-se do slogan/verso/título do meu blog e movimento poético para produzirem uma peça cujo título copiado ao meu trabalho artístico facto que era e é do domínio público; aproveitando-se assim de toda a publicidade envolvendo a frase "Pedro procura Inês" pelo exclusivo trabalho meu.

Os srs. fizeram isso e eu limitei-me a protestar a partir do meu blog, a partir de casa. Não fui assistir à sua peça, não a boicotei, não fiz nenhum escândalo à porta. Quando acabou a representação da sua peça, acabou também a estória do Maria Matos no meu blog.


Como vê - se não via então - até sou uma pessoa de bom senso. Infelizmente, se o sr. insiste em manter a queixa-crime, eu vou ter de me defender. E não me irei defender apenas em Tribunal. Hei-de defender-me em Praça Pública. Desde já, em colaboração com o meu advogado, irei redigir o Manifesto "o Processo do Poeta", apesar de que dum ponto de vista artístico, não tenho nenhum interesse em ocupar-me dos "Meninos do Maria Matos", mas apenas de procurar a Inês.

Gostava que nos próximos meses assim fosse. Mas isso agora depende do seu bom senso. No próximo dia 9 estarei, pela tarde, num canal generalista a contar a estória do Pedro procura Inês - como pode ver também, não preciso de me "aproveitar" de si para obter a "publicidade" de que preciso. Esta reportagem do i é um bom exemplo.

Agora... Se o sr. insiste em manter a queixa-crime, pode crer que hei-de passar a falar desta nossa situação também, seja onde for e com quem for. Pessoalmente, não quero ir por esse caminho, resta saber se o sr. quer este tipo de publicidade em cima.

Isto que lhe escrevo não é uma ameaça, uma chantagem ou qualquer modo de coacção.

Pelo contrário, estou a fazer aquilo que me foi sugerido na polícia: tentar chegar a um entendimento consigo, de modo a que o sr. retire a queixa e ambos possamos chegar à conclusão de que isto foi tudo um mal entendido.

Tenho a esperança de que, um Director Artístico que organiza ciclos de conferências sobre "cidadania", "cultura" e "cidade", saberá comportar-se à altura da sua reputação, estatuto e função. Mas quem sou para lhe sugerir seja o que for? A sua consciência saberá fazê-lo muito melhor.

Fico a aguardar resposta,
Rui Faustino
O Pedro que procura Inês

Pôncio Vileda disse...

porque uma arma, aqui e na Lua, é uma arma.

mas se apagares o vídeo em questão safas-te, aposto que o senhor imigrante não foi esperto para o gravar, a menos que tenha um desses advogados modernaços que pescam um pouco de informática.

F. disse...

Amigo vilela:

A arma do 25 de Abril foi a arma da liberdade de expressão e de protesto!

Antes do 25 de Abril é que os mandões se iam queixar à polícia quando os pequenos protestavam...

Anónimo disse...

esqueci-me de te dar os parabéns, por isso cá estão eles. quanto ao q se está a discutir, há uma coisa que queria acrescentar que me parece importante: a internet não é, nem deve ser, um espaço onde uma pessoa pode dizer e "fazer" tudo o que lhe apetece sem ter que arcar com consequências. devemos ter consciência disso quando criamos um blog e nos exprimimos, sendo a nossa expressão poesia, video ou o que quer q seja q nós entendemos como arte (mas outros poderão não assim entender qdo a expressão é na realidade dúbia). se o tal senhor se sentiu ameaçado queixa-se, tu defendes-te e alguém decidirá quem tem razão. no teu caso muito sinceramente eu tinha começado e acabado por apresentar uma queixa por plágio logo a seguir a perceber q o diálogo c essa gente n era possível. é óbvio que eles usaram o teu trabalho e a tua dedicação para daí tirar qq coisa. é óbvio q conheciam (há cartazes por td o lado c o endereço do blog).
no final, qto a mim n houve bom senso de ambas as partes, portanto ou os dois lados o reconhecem e acabou-se a historia ou alguém resolverá isso no devido sítio. este País está cheio de gente q usurpa o trabalho dos outros sem q nada lhes aconteça.

indo ao q realmente interessa, que encontres a inês q é por isso q nós te lemos.

abraço!

R